Política

Irmã de Michelle Melo é exonerada após vereadora voltar a manifestar vontade de disputar o governo

Published

on

O governador Gladson Cameli (PP) exonerou, nesta terça-feira (17), a irmã da vereadora de Rio Branco Michelle Melo. Mirla de Oliveira Melo Lima era lotada na Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio (Sepa), com um salário de R$ 7 mil.

Fontes ouvidas pelo Notícias da Hora afirmam que a exoneração da irmã da vereadora está ligada ao fato de Michelle Melo não desistir da ideia de disputar o governo do Acre nas eleições deste ano.

No último dia 12, Michelle Melo usou as redes sociais para dizer que seu nome está à disposição do PDT. “Meu nome está à disposição do PDT para dialogar sobre o futuro do Acre, o governo do Acre”.

Na Assembleia, na última semana, o deputado José Luís Tchê, presidente de honra do partido no Acre, disse que a sigla quer sim “discutir chapa majoritária”.

Michelle Melo e o pai, o empresário Nelsinho Santiago, se reuniram com o deputado Jenilson Leite (PSB), pré-candidato ao governo do Acre, ontem, 16. A agenda foi publicada pelo parlamentar em suas redes sociais nesta terça-feira, 17.

“Junto com o presidente estadual do PSB, César Messias, e outras lideranças, tivemos uma conversa agradável com a vereadora Michelle Melo, do PDT, e o seu pai, Nelsinho. Falamos sobre o futuro do Acre. Temos muitos objetivos em comuns, como a preocupação com a saúde de nossa população, as dificuldades de quem produz no campo e com quem gera emprego na cidade. Nosso desejo é lutar para que o Acre possa mudar seus rumos e que as pessoas deixem de ir embora de nosso estado por falta de oportunidades”, escreveu Jenilson.

Leia Também:  Caso Johnliane:Justiça marca data do júri popular para 17 e 18 de maio

O Notícias da Hora entrou em contato com Mirla Melo. Em resposta, ela disse que “diferentemente de minha irmã, não possuo vida pública, me reservo, gentilmente, ao silêncio”.

Michelle Melo diz desconhecer se irmã foi exonerada por conta de anseios dela de disputar o governo

A vereadora Michelle Melo disse ao Notícias da Hora que desconhece se a irmão, Mirla Melo, foi exonerada por manifestações políticas dela. Afirmou que a irmã foi nomeada em 2019 e ela foi eleita vereadora em 2020, o que revela não guardar qualquer relação sobre a postura política dela.

“Se tem ou não verdade, não sei, porquê não sei como pensa o atual governo. Ela não foi indicação da vereadora Michelle, haja vista foi nomeada em 2019 e eu fui eleita em 2020.Um emissário do governo me ligou há aproximadamente 15 dias atrás pra falar do respeito que o governador tem por mim e pela minha família, recebi e reiterei o respeito que tinha ao governador, apesar de discordar de pontos da sua gestão”, disse Michelle.

Leia Também:  Deputados aprovam PL que proíbe a contratação de pessoas no serviço público condenadas por maus-tratos aos animais

E reafirmou: “eu não tenho indicação de cargo municipal, nem estadual e não tenho nenhum cargo relacionado ao partido do qual faço parte, o PDT. Se o governador acha que deve exonerar minha irmã, ele saberá porquê. Não falo com a gestão do Gladson há meses, não sei lhe dizer o que eles estão pensando”.

Melo pontuou que “a política de cargos é pequena”. “Falar de projetos para o Acre com base em cargos não faz parte do que acredito. Acredito na liberdade de pensamentos, de ideias, de construção coletiva e democrata, falta mesmo é emprego pro povo do Acre”.

Por Notícias da Hora

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

Política

N. Lima determina que veículos da Câmara ficarão no estacionamento da Casa após às 17h

Published

on

O presidente da Câmara de Rio Branco, N. Lima (Progressistas), baixou um decreto determinando que todos os veículos oficiais do Poder Legislativo Municipal deverão ter seu início de funcionamento a partir das 7 horas e término às 17 horas, onde deverão ser recolhidos ao estacionamento próprio até às 18 horas.

A decisão ocorreu após a vereadora de Rio Branco, Michelle Melo (PDT), ser flagrada, mais uma vez, permitindo que a namorada dela, a enfermeira Jiza Lopes, dirija o carro da Câmara Municipal, que é exclusivo para uso em serviços do gabinete dos parlamentares.

Jiza, como a própria vereadora já chegou a dizer, não é servidora da Casa Legislativa, e portanto, não deveria dirigir a caminhonete modelo S10, de cor prata, cujo aluguel é pago com dinheiro público. Jiza já havia sido flagrada, conforme publicou o Notícias da Hora, usando o carro para ir à academia de ginástica.

Segundo o presidente da Câmara, os veículos só podem sair após às 18 horas, apenas com a sua autorização. A vereadora Michelle Melo após a publicação da matéria do Noticias da Hora virou alvo de um inquérito civil do Ministério Público do Acre (MPAC).

Leia Também:  Bolsonaro proíbe queimadas em todo o país por seis meses

Sobre as imagens, Michelle confirmou o uso do carro e disse que o fazia para economizar tempo, já que após a academia iria para agendas do mandato. Depois, disse que Jiza não tem o costume de dirigir, mas isso ocorreu porque o motorista dela estaria doente. Quase três meses depois, Lopes continua dirigindo o carro oficial.

Após a polêmica, Michelle Melo disse que devolveria para a Câmara Municipal de Rio Branco o valor equivalente à diária de locação do veículo. Mas não disse, contudo, se devolveria também o valor do combustível que foi utilizado. No final de semana passado, num sábado, a vereadora usava o veículo, dirigido pela namorada, na região central da capital acreana.

Notícias da Hora

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI