RIO BRANCO

Presos iniciam greve de fome nos presídios acreanos por tempo indeterminado

Published

on

Os detentos de todo o sistema penitenciário do Acre entraram em greve de fome nesta segunda-feira (26).

O movimento foi deflagrado por conta da portaria expedida pelo antigo diretor do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC), Lucas Gomes, que reduziu o tempo de visitas. Eles reclamam ainda de alimentação inadequada e fazem denuncias de supostas torturas.

A greve de fome promete ser por tempo indeterminada.

O diretor do Iapen, Glauber Feitoza, disse que a instituição sempre manteve abertos os diálogos com os familiares dos apenados, tendo inclusive atendido algumas manifestações.

Sobre a alimentação inadequada, Feitoza nega. “O Ministério Público e Defensoria realizam vistoria periodicamente, inclusive foi feita uma recentemente onde não foi constatada nenhuma irregularidade. Após essa vistoria, foi feita outra pela Vigilância Sanitária e estamos esperando o laudo”, disse.

Outra reivindicação atendida tem a ver com o aumento da quantidade de alimentação caseira que é levada pelas visitas. “Autorizamos o aumento de 3 litros para quatro litros, além da liberação para que aquele apenado que tiver como lista de visitante apenas amigo e nenhum familiar também possa levar a mesma quantidade”, explicou Glauber, que negou haver denúncias de torturas nas unidades penitenciárias. “Quando há algum indício, abrimos investigação”.

Leia Também:  Médicos suspendem greve depois de avanços nas negociações com governo

Sobre as visitas, a portaria de 2019, uma das mudanças que ocasionaram os protestos foi com relação à visita íntima, que mudou de semanal para cada 15 dias e o tempo de duração de todas elas.

Neste caso, o diretor do Iapen destacou que acatou um dos pedidos das famílias que era sobre o dia de visita das crianças que ocorria em dias de semana e foi alterada para os fins de semana. Antes, eram de 8 horas e passou para 4 horas, somente no período da manhã, das 8h às 11h, e o de visitas íntimas passou a ser de 3 horas.

De acordo com Feitoza, esta medida não deve ser alterada pelos resultados positivos que tiveram. “No ano anterior à portaria, 2018, tínhamos denúncias até de prostituição de menores nos dias de visitas íntimas e de vendas irregulares dentro dos presídios. Com as regras, não há mais esse tipo de situação e temos resultados positivos no número de presos estudando e, ano passado, por exemplo, tivemos recorde de inscritos no Enem”, exemplificou.

Leia Também:  Familiares de presos fecham avenida de Rio Branco; agressões são registradas e PM é acionada

Além da greve de fome dos detentos, os familiares prometem fechar ruas e avenidas do Centro de Rio Branco e em outros municípios ainda esta semana.

 

contilnet

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

RIO BRANCO

Motoristas de aplicativo fazem manifestação em frente à Defla após morte de colega em Rio Branco

Published

on

Na tarde desta segunda-feira, 28, dezenas de condutores de aplicativos resolveram protestar em frente a Delegacia de Flagrantes, em Rio Branco, contra o latrocínio de José Francisco Rodrigues das Chaga, de 31 anos, que foi achado morto no Ramal Santo Onofre, no Apolônio Sales.

Um dos colegas de Chagas lamentou a onda de violência. Segundo ele, é necessário reforçar a segurança para evitar novas mortes violentas. “Tinha dado uma acalmada, agora retornou com força, nosso amigo não era bandido e o caso merece ser elucidado”, revelou Francisco Silva.

No entanto, a Polícia Civil informou que prendeu dois suspeitos do crime, sendo que um deles confessou ter matado a vítima. O suspeito tem 21 anos e foi conduzido pela Polícia Militar no mesmo dia para a Delegacia de Flagrantes por uma ocorrência de furto.

Na tarde desta segunda-feira, 28, dezenas de condutores de aplicativos resolveram protestar em frente a Delegacia de Flagrantes, em Rio Branco, contra o latrocínio de José Francisco Rodrigues das Chaga, de 31 anos, que foi achado morto no Ramal Santo Onofre, no Apolônio Sales.

Leia Também:  Policiais frustram plano de fuga de 27 presos do Complexo Penitenciário de Rio Branco

Um dos colegas de Chagas lamentou a onda de violência. Segundo ele, é necessário reforçar a segurança para evitar novas mortes violentas. “Tinha dado uma acalmada, agora retornou com força, nosso amigo não era bandido e o caso merece ser elucidado”, revelou Francisco Silva.

No entanto, a Polícia Civil informou que prendeu dois suspeitos do crime, sendo que um deles confessou ter matado a vítima. O suspeito tem 21 anos e foi conduzido pela Polícia Militar no mesmo dia para a Delegacia de Flagrantes por uma ocorrência de furto.

 

Folha do Acre

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI