SAÚDE

Consumir café está relacionado à impulsividade nas compras, diz estudo

Published

on

source
Estudo aponta que cafeína pode estar ligada ao aumento do consumismo
Pexels

Estudo aponta que cafeína pode estar ligada ao aumento do consumismo


O café é uma das bebidas mais consumidas pelo Brasileiro. Quem não gosta de começar o dia tomando o bom e velho café preto? Ou depois do almoço, no lugar de uma sobremesa? Além de dar energia, a cafeína é o estimulante mais popular do mundo encontrada em chás, refrigerantes, cafés e bebidas energéticas. Pesquisadores do sul da Flórida, entretanto, descobriram que a bebida está relacionada diretamente com o aumento do consumismo.

“A cafeína, como um poderoso estimulante, libera dopamina no cérebro, o que excita a mente e o corpo. Isso leva a um estado energético mais alto, que por sua vez aumenta a impulsividade e diminui o autocontrole”, explica o pesquisador Dipayan Biswas.

Biswas e seus colegas fizeram um experimento para comprovar a teoria. O conhecimento consistia em instalar uma máquina de café expresso nas entradas de três lojas: As duas primeiras, uma de varejo e outra focada em artigos do lar, localizadas na França. A terceira, uma loja de departamento na Espanha. 

Cerca de 300 clientes receberam uma xícara de 100 mg de café de cortesia e os outros receberam bebidas descafeinadas e água. No final, eles compartilhavam seus recibos de compra com os pesquisadores.

Leia Também:  Varíola dos macacos: Saúde criará sala de situação para observar vírus

Eles descobriram que os compradores que eram estimulados pela cafeína gastavam 50% a mais na hora das compras e escolhiam cerca de 30% mais itens do que aqueles que bebiam água ou bebidas descafeinadas. 

A bebida também influenciou os tipos de item que eles compravam. Aqueles que tomaram café, por exemplo, compravam mais tens não essenciais, como velas perfumadas e fragrâncias, do que os outros compradores que se mantinham firmes e objetivos nas compras.

Os pesquisadores ainda montaram um quarto experimento em laboratório para checar se teriam resultados semelhantes em relação às compras online. Eles dividiram um grupo de 200 alunos de escolas de administração entre indivíduos que consumiram café com cafeína e descafeinado e pediram que escolhessem quais itens comprariam de uma lista pré-selecionada de 66 opções.

O resultado foi semelhante. Aqueles a base de bebidas com cafeína escolheram mais itens na base da impulsividade, como um massageador. Enquanto os que não estavam a base de cafeína escolheram menos itens e foram mais práticos nas suas compras, escolhendo apenas o necessário, como um caderno ou caneta.

Leia Também:  Covid: estudo inédito no Brasil busca novas variantes do vírus no país

Apesar do estudo mostrando a relação do café com a impulsividade na hora das compras, não há pesquisas sobre como o consumo de café ou outras bebidas cafeinadas pode influenciar o comportamento das pessoas na hora de gastar com produtos.

Ou seja, se for comprar, não beba café. E nada de ter aquela pausa para o cafezinho da tarde no shopping. “Embora quantidades moderadas de ingestão de cafeína possam trazer benefícios positivos para a saúde, pode haver consequências não intencionais de consumir cafeína durante as compras”, disse Biswas. 

“Ou seja, os consumidores que tentam controlar os gastos impulsivos devem evitar consumir bebidas com cafeína antes de fazer compras.”

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

SAÚDE

Losartana: saiba marcas de remédios que não tiveram que ser recolhidos

Published

on

Medida foi tomada devido a
Christine Sandu / Unsplash

Medida foi tomada devido a “presença da impureza ‘azido’ em concentração acima do limite de segurança aceitável”

Na última quinta-feira, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a interdição e recolhimento de lotes de alguns medicamentos com princípio ativo da losartana . Este tipo de medicação é um dos mais indicados e usados no Brasil para o tratamento de pressão alta (hipertensão arterial) e insuficiência cardíaca, reduzindo o risco de derrame e infarto.

Segundo a agência, a medida foi tomada devido à “presença da impureza ‘azido’ em concentração acima do limite de segurança aceitável”. A Anvisa ainda ressalta que o recolhimento não impacta o tratamento, visto que há outros lotes de losartanas no mercado que podem substituir os medicamentos recolhidos ou interditados.

Confira abaixo quais são as marcas de medicamentos à base de losartana disponíveis no Brasil que não foram alvo de recolhimento ou interdição pela Anvisa:

  • EMS;
  • Germed;
  • Torrent;
  • Organon;
  • Pharlab;
  • Multilab;
  • Nova Química;
  • Sandoz;
  • Vitamedic;
  • Sanofi Medley
  • Legrand;
  • Ranbaxy;
  • Unichem;
  • 1FARMA;
  • Aurobindo Pharma;
  • Laboratório Globo;
  • Zydus Nikkho.
Leia Também:  Covid: estudo inédito no Brasil busca novas variantes do vírus no país

Vale ressaltar que mesmo entre as marcas alvo de recolhimento ou interdição — Ache, Biolab, Brainfarma, Cimed, Eurofarma, Geolab, Teuto, Prati — apenas alguns lotes foram afetados. O número dos lotes recolhidos estão especificados no site da Anvisa. Assim como o número dos lotes que foram interditados cautelarmente.

A Anvisa e a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) alertam que os pacientes que fazem uso da losartana devem continuar utilizando o seu medicamento, mesmo que ele esteja entre os lotes afetados . A troca deve ser realizada apenas sob orientação médica e apenas quando o novo medicamento estiver em mãos.

A interrupção do tratamento da hipertensão arterial e da insuficiência cardíaca pode produzir malefícios instantâneos, inclusive risco de morte por derrame, ataques cardíacos e piora da insuficiência cardíaca.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Leia Também:  Aeroportos de Rio Branco e Cruzeiro do Sul são listado para leilão; estudo sai em 150 dias

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI