Sem Categoria

Assaltos na saida da Escola Lourival Pinho assustam pais e alunos. Facções também picham muros

Published

on

Pais de alunos da escola Lourival Pinho estão preocupado com casos de roubo sofridos pelos filho na saída da escola. “Eu tenho medo. Já vi várias pessoas sendo assaltadas, indo e vindo para escola”, disse um aluno de 16 anos que pediu para não ser identificado. Outros alunos têm sempre algum relato sobre a criminalidade que acontece dos portões da escola para fora. Segundo algumas vítimas, os bandidos ficam à espreita nos horários de chegada e saída dos estudantes. Eles usam armas branca e de fogo. Celulares, dinheiro e relógios são o alvo dos criminosos. A escola já solicitou reforço no policiamento ostensivo, mas nenhuma resposta veio até esta segunda-feira (11). O 2ª Batalhão da PM, responsável pelo policiamento da região, deve se pronunciar por ofício à direção da escola.
Outra situação preocupante é a pichação nos muros de alguns estabelecimentos de ensino. Criminosos pertencentes a facções tentam intimidar alunos e professores marcando território, sempre no período noturno. A última pichação ocorreu na Escola Maria Izali, no Bairro Recanto dos Buritis.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Simaria: processo com ex-marido rende barraco em porta de escola, diz colunista
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

manchete

Com 75% das escolas fechadas devido à greve, prefeito de Rio Branco recua e propõe pagar piso em duas parcelas

Published

on

O impasse entre a Prefeitura de Rio Branco e os servidores da rede pública de Educação continua e cerca de 75% das escolas seguem sem aulas na capital por conta da greve. Nesta terça-feira (29), o prefeito Tião Bocalom afirmou que recuou e que vai pagar o piso aos professores em duas parcelas ainda este ano.
Esta era uma das pautas dos trabalhadores, mas, segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, a proposta ainda não foi formalizada e entregue ao sindicato e, pelo que foi divulgado, ela não contempla o que a categoria tem pedido. Por isso, a greve está mantida.
Os servidores municipais de Educação estão em greve desde o dia 24 do mês passado. Desde então, a categoria tem feito vários protestos pela cidade, inclusive junto com servidores da Educação estadual, que também estão com as atividades paralisadas.
A categoria pede:
– Reformulação de Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR);
– Piso nas carreiras aos professores, com 50% de diferença do nível médio para superior;
– Piso de uma única parcela aos professores;
– Piso dos funcionários de escolas que é de R$ 1.400, a proposta do Sinteac é de R$ 1.956;
– E se coloca contra a proposta da prefeitura de aumentar tempo de serviço para progressão salarial;
– Convocação efetiva do concurso de 2018.
A categoria voltou a protestar nesta terça em frente à Câmara de Vereadores de Rio Branco.
“A categoria disse que aceitaria o pagamento do piso em até duas parcelas. Além disso, que fosse avançada a pauta dos funcionários de escola, com piso de R$ 1,7 mil e R$ 1,8 mil. Aí, o prefeito está avançando com professores, mas não avançou com funcionários de apoio. Nós construímos algo com a categoria, que só vai sair da greve, avançando tanto na proposta dos professores como dos funcionários. Nós já abrimos mão demais”, disse Rosana.
Fonte: G1 Acre

Leia Também:  Tiroteio gera pânico na Fameta, que encerra aulas e alunos pedem socorro

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI