Sem Categoria

Gladson detalha plano de governo e pede à CEF retomada da construção de casa populares na Cidade do Povo

Published

on

O governador do Estado do Acre, Gladson Cameli, apresentou o ousado Plano de Governo que pretende colocar em prática nos próximos quatro anos para o presidente nacional da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Duarte Guimarães.
Grandes investimentos em agronegócio e infraestrutura são as prioridades de Gladson Cameli. O governador aproveitou a oportunidade para formalizar o interesse de retomar a construção de casas populares na Cidade do Povo, através do programa “Minha casa, Minha Vida”. Atualmente, o banco é responsável por 70% dos financiamentos do mercado imobiliário brasileiro.
“Queremos garantir a construção de casas para a população que mais precisa, especialmente, para as famílias que sofrem com a alagação do rio Acre. Sei que a Caixa Econômica tem uma vasta experiência nesta área e vamos fazer o esforço necessário para continuarmos com as obras na Cidade do Povo”, afirmou.
Cameli disse que o estado enfrenta uma difícil situação financeira, mas que toda dedicação está sendo feita para revolucionar a economia acreana por meio de investimentos que gerem emprego e renda. Outra proposta do gestor é recuperar a credibilidade do Governo do Estado junto aos fornecedores, para isso, medidas de austeridade já estão em prática com o objetivo de reduzir despesas com a máquina pública.
Na ocasião, a primeira-dama, Ana Paula Cameli, entregou um projeto ao gestor do banco para ampliação do projeto social “Musicalizando pessoas com amor e carinho”, do Ministério Público Estadual. A valiosa iniciativa contempla crianças e adolescentes com aulas gratuitas de música no município de Cruzeiro do Sul.
Pedro Guimarães explicou que a Caixa quer ampliar os negócios com o estado, em especial nas áreas de microcrédito, infraestrutura e habitação. Sinalizou ainda que será possível firmar convênios que resultem em benefícios para a população acreana.
“A conversa que tivemos com o governador foi muito proveitosa, a Caixa estará ainda mais próxima do Acre e disponível a financiar grandes projetos, seja do governo do estado ou dos empresários locais”, afirmou.
Além do presidente, uma comitiva formada por superintendentes, consultores e gerentes do banco participaram do encontro na tarde desta sexta-feira, 1, com o governador Gladson Cameli. A primeira-dama, Ana Paula Cameli, o secretário de Saúde, Alysson Bestene, e o chefe da Casa Civil, José Ribamar Trindade, acompanharam a reunião.
A visita ao Acre faz parte do projeto ‘Caixa Mais Brasil’. Segundo Guimarães, o objetivo é visitar todas as unidades da federação para conhecer o trabalho nas superintendências regionais, as potencialidades de cada região e, também, acompanhar obras executadas financiadas pela Caixa Econômica.
A comitiva fica no estado até o próximo domingo, 3. Na Capital, estão programadas visitas ao maior conjunto habitacional do estado, o bairro Cidade do Povo, a Estação de Tratamento de Esgoto São Francisco e o Centro de Iniciação ao Esporte. Já em Brasileia, os representantes do banco estatal acompanham a fase final de obras do Hospital Regional do Alto Acre.

Leia Também:  PRF e Exército procuram quadrilha que desvia combustíveis no Acre

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

manchete

Com 75% das escolas fechadas devido à greve, prefeito de Rio Branco recua e propõe pagar piso em duas parcelas

Published

on

O impasse entre a Prefeitura de Rio Branco e os servidores da rede pública de Educação continua e cerca de 75% das escolas seguem sem aulas na capital por conta da greve. Nesta terça-feira (29), o prefeito Tião Bocalom afirmou que recuou e que vai pagar o piso aos professores em duas parcelas ainda este ano.
Esta era uma das pautas dos trabalhadores, mas, segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, a proposta ainda não foi formalizada e entregue ao sindicato e, pelo que foi divulgado, ela não contempla o que a categoria tem pedido. Por isso, a greve está mantida.
Os servidores municipais de Educação estão em greve desde o dia 24 do mês passado. Desde então, a categoria tem feito vários protestos pela cidade, inclusive junto com servidores da Educação estadual, que também estão com as atividades paralisadas.
A categoria pede:
– Reformulação de Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR);
– Piso nas carreiras aos professores, com 50% de diferença do nível médio para superior;
– Piso de uma única parcela aos professores;
– Piso dos funcionários de escolas que é de R$ 1.400, a proposta do Sinteac é de R$ 1.956;
– E se coloca contra a proposta da prefeitura de aumentar tempo de serviço para progressão salarial;
– Convocação efetiva do concurso de 2018.
A categoria voltou a protestar nesta terça em frente à Câmara de Vereadores de Rio Branco.
“A categoria disse que aceitaria o pagamento do piso em até duas parcelas. Além disso, que fosse avançada a pauta dos funcionários de escola, com piso de R$ 1,7 mil e R$ 1,8 mil. Aí, o prefeito está avançando com professores, mas não avançou com funcionários de apoio. Nós construímos algo com a categoria, que só vai sair da greve, avançando tanto na proposta dos professores como dos funcionários. Nós já abrimos mão demais”, disse Rosana.
Fonte: G1 Acre

Leia Também:  No aniversário de 109 anos de Brasileia, Gladson anuncia obras de R$ 20 milhões para ponte e anel viário

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI