Sem Categoria

Mesmo sem ônibus, facções mantêm tendência homofóbica e possível atentado na Parada Gay preocupa especialista

Published

on

Um especialista ouvido pela reportagem de acjornal.com revelou preocupações com o aumento da violência na Parada Gay, que acontece na tarde deste domingo em Rio Branco. Ele discorreu sobre a tendência homofóbica das facções criminosas que causaram mortes e medo na cidade nas últimas horas, com eventos semelhantes em algumas cidades do interior. “Temos que lembrar que essas facções têm muito respeito por algumas correntes evangélicas com tendência homofóbica. Não se pode descartar algum atentado ao evento”, opinou.os organizadores mantiveram a programação da Parada Gay, muito embora haja o risco de a frota de ônibus ser ainda mais reduzida ( ou completamente parada) em razão dos prejuízos registrados na noite sábado, quando quatro coletivos foram incendiados.  Nas redes sociais, há uma unanimidade dos internautas sobre a falta de controle do estado sobre a criminalidade”.
Por ser domingo, a retenção de ônibus nas garagens gera impactos menores. Porém, se a decisão das empresas for pela redução da frota na segunda-feira, haveria um caos generalizado. “É como liberar os celulares nos presídios”, comparou um comerciante.

Leia Também:  Assaltante que participou de ao menos dois arrastões a ônibus é preso

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

manchete

Com 75% das escolas fechadas devido à greve, prefeito de Rio Branco recua e propõe pagar piso em duas parcelas

Published

on

O impasse entre a Prefeitura de Rio Branco e os servidores da rede pública de Educação continua e cerca de 75% das escolas seguem sem aulas na capital por conta da greve. Nesta terça-feira (29), o prefeito Tião Bocalom afirmou que recuou e que vai pagar o piso aos professores em duas parcelas ainda este ano.
Esta era uma das pautas dos trabalhadores, mas, segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, a proposta ainda não foi formalizada e entregue ao sindicato e, pelo que foi divulgado, ela não contempla o que a categoria tem pedido. Por isso, a greve está mantida.
Os servidores municipais de Educação estão em greve desde o dia 24 do mês passado. Desde então, a categoria tem feito vários protestos pela cidade, inclusive junto com servidores da Educação estadual, que também estão com as atividades paralisadas.
A categoria pede:
– Reformulação de Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR);
– Piso nas carreiras aos professores, com 50% de diferença do nível médio para superior;
– Piso de uma única parcela aos professores;
– Piso dos funcionários de escolas que é de R$ 1.400, a proposta do Sinteac é de R$ 1.956;
– E se coloca contra a proposta da prefeitura de aumentar tempo de serviço para progressão salarial;
– Convocação efetiva do concurso de 2018.
A categoria voltou a protestar nesta terça em frente à Câmara de Vereadores de Rio Branco.
“A categoria disse que aceitaria o pagamento do piso em até duas parcelas. Além disso, que fosse avançada a pauta dos funcionários de escola, com piso de R$ 1,7 mil e R$ 1,8 mil. Aí, o prefeito está avançando com professores, mas não avançou com funcionários de apoio. Nós construímos algo com a categoria, que só vai sair da greve, avançando tanto na proposta dos professores como dos funcionários. Nós já abrimos mão demais”, disse Rosana.
Fonte: G1 Acre

Leia Também:  Juíza mantém condenação ao Detran por suspensão irregular do direito de dirigir

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI