Sem Categoria

Motofretes revida à RBtrans e mototaxistas e mantêm “promoção” até fim do ano: R$ 10,00 para qualquer região de Rio Branco

Published

on

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O SINDMOTOFRETE vem por meio desta informar a população de rio branco que ainda estamos com nossa MEGA PROMOÇÃO de
R$ 10,00 pra qualquer lugar da cidade em região urbana. E tambem esclarecer que diante desta MEGA PROMOÇÃO estamos sofrendo grandes perseguições por parte da RBTRANS (superintendência de transito de rio branco) , por alguns MOTOTAXISTAS e seu SINDICATO (SINDMOTO).
A RBTRANS por meio de sua superintendência vem cometendo várias irregularidades com nossa categoria(MOTOFRETES) vindo ate suspender e tambem cassar nossas permissões sem quaisquer justificativas baseadas em lei, mostrando se inesperientes no ambito de seu exercício no transito municipal.
A autarquia do município(rbtrans) deveria fiscalizar algumas irregularidades cometidas pela categoria de MOTOTAXISTAS tais como:
*NAO PAGAMENTO DA APÓLICE DE SEGUROS.
(Benefício tanto para: permissionário, auxiliar, passageiros e outros envolvidos em quaisquer incidência)
-O nao pagamento desta apólice pode causar suspensão, cassação ou ate instinçao da permissão.
* TRANSPORTE DE PEQUENAS CARGAS
( Seguido pela lei municipal a única categoria autorizada a este serviço seria os MOTOFRETES, porém o órgão fiscalizador (RBTRANS) faz” vistas grossas” simplesmente porque, pelo que da de se entender o SINDMOTO(sindicato dos mototaxistas) anda de mãos dadas com tal instituição municipal (RBTRANS).
E para finalizar:
Toda LEI MUNICIPAL que regulamenta a atividade de transporte individual de passageiro, ou seja, MOTOTAXI, é simplesmente INCONSTITUCIONAL, uma vez que o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL se manifestou acerca disto, pois, o mesmo não se enquadra na LEI do CTB(código de transito brasileiro) .
Art. 107. Os veículos de aluguel, destinados ao transporte individual ou coletivo de passageiros, deverão satisfazer, além das exigências previstas neste Código, às condições técnicas e aos requisitos de segurança, higiene e conforto estabelecidos pelo poder competente para autorizar, permitir ou conceder a exploração dessa atividade.
No mais, queremos agradecer a confiança e apoio de toda a população de nossa querida Rio Branco.
#soumaismotofrete
08008871146
Cleildo Motofrete

Leia Também:  Governo mantém serviços essenciais durante recesso de Carnaval

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

manchete

Com 75% das escolas fechadas devido à greve, prefeito de Rio Branco recua e propõe pagar piso em duas parcelas

Published

on

O impasse entre a Prefeitura de Rio Branco e os servidores da rede pública de Educação continua e cerca de 75% das escolas seguem sem aulas na capital por conta da greve. Nesta terça-feira (29), o prefeito Tião Bocalom afirmou que recuou e que vai pagar o piso aos professores em duas parcelas ainda este ano.
Esta era uma das pautas dos trabalhadores, mas, segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, a proposta ainda não foi formalizada e entregue ao sindicato e, pelo que foi divulgado, ela não contempla o que a categoria tem pedido. Por isso, a greve está mantida.
Os servidores municipais de Educação estão em greve desde o dia 24 do mês passado. Desde então, a categoria tem feito vários protestos pela cidade, inclusive junto com servidores da Educação estadual, que também estão com as atividades paralisadas.
A categoria pede:
– Reformulação de Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR);
– Piso nas carreiras aos professores, com 50% de diferença do nível médio para superior;
– Piso de uma única parcela aos professores;
– Piso dos funcionários de escolas que é de R$ 1.400, a proposta do Sinteac é de R$ 1.956;
– E se coloca contra a proposta da prefeitura de aumentar tempo de serviço para progressão salarial;
– Convocação efetiva do concurso de 2018.
A categoria voltou a protestar nesta terça em frente à Câmara de Vereadores de Rio Branco.
“A categoria disse que aceitaria o pagamento do piso em até duas parcelas. Além disso, que fosse avançada a pauta dos funcionários de escola, com piso de R$ 1,7 mil e R$ 1,8 mil. Aí, o prefeito está avançando com professores, mas não avançou com funcionários de apoio. Nós construímos algo com a categoria, que só vai sair da greve, avançando tanto na proposta dos professores como dos funcionários. Nós já abrimos mão demais”, disse Rosana.
Fonte: G1 Acre

Leia Também:  Governo mantém serviços essenciais durante recesso de Carnaval

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI