Sem Categoria

Chapa para desbancar o PT seria Gladson, Alan Rick, Petecão e Bittar, com Bocalom para federal ?

Published

on

Bittar, Gladson e Petecão deve ser o trio majoritário para desbancar o PT em 2018


O deputado federal major Rocha reivindica a vaga de vice na chapa encabeçada pelo senador Gladson Cameli. O presidente do PSDB no Acre não citou nomes, mas já levou a sugestão ao grupo que decidirá a questão nos próximos meses. O PMDB também disputa o direito de indicar o vice, acenando com a possibilidade de Flaviano Melo emplacar a cobiçada vaga. E o DEM, de Tião Bocalom, o único que ainda não confirmou a aliança com as demais legendas de oposição, insiste na indicação de Alan Rick. O chapão das oposições deve congregar a unidade, avalia o presidente da Executiva Estadual do PP, o ex-deputado José Bestene. “O impasse existe, mas não é o melhor momento para decidir. O senador Gladson, neste momento, está preocupado na liberação de recursos para ajudar os municípios. Esse assunto entrará em pauta na hora oportuna”, argumentou o dirigente progressista.
Bocalom tem dito que somente abriria mão da candidatura ao Senado Federal se Gladson aceitar Alan Rick como vice. Alan, aliás, assinará filiação ao Democratas no próximo dia 25, em evento que espera-se ser bastante prestigiado, em Rio Branco, com a presença de Agripino Maia e o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, o primeiro na linha sucessória do presidente da República. Há quem acredite que o DEM não sairia sozinho  em candidatura majoritária.
O senador Sérgio Petecão é candidato natural à reeleição, com vaga garantida por já exercer o mandato. “Ele não será candidato ao Senado se não quiser. Isso é ponto pacífico”, reitera Bestene. A segunda vaga está em disputa bastante acirrada nos bastidores. Além de Bocalom, o próprio Major Rocha trabalha uma pré-candidatura ainda de forma tímida. E o ex-primeiro secretário da Câmara, Márcio Bittar,  dissidente tucano e a mais nova aquisição peemedebista, não abre mão da vaga, considerando ser, segundo as pesquisas, o mais bem avaliado entre todos os candidatos da oposição para senador.
Alguns dirigentes fazem uma leitura que deve ser considerada. A iniciativa de Rocha em pleitear a vaga de vice é sinal de que ele estaria propenso a desistir do Senado. Os tucanos não têm chance de emplacar nem vice nem a vaga de senador, avaliam alguns dirigentes.
“Se as pesquisas estiverem certas, a melhor decisão do Rocha é sair para a releição. Ele seria um bom puxador de votos, juntamente com Bocalom, na disputa pela Câmara Federal”, avaliou um dirigente. Nesse cenário, Jéssica Sales e Flaviano Melo se somariam a um esforço para compor a maioria dentre os oito federais – formando um bloco de situação forte e coeso ao provável governador Gladson Cameli. Nesse aspecto, Alan Rick, líder evangélico consolidado com densidade eleitoral na capital e no interior, abriria mão de uma reeleição razoavelmente garantida para arriscar ser vice-governador. Ou, em caso de vitória do PT, voltar à bancada do Gazeta Entrevista.

Leia Também:  Prefeito Tião Bocalom e secretário Normando Sales destacam Rio Branco na COP 26

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

manchete

Com 75% das escolas fechadas devido à greve, prefeito de Rio Branco recua e propõe pagar piso em duas parcelas

Published

on

O impasse entre a Prefeitura de Rio Branco e os servidores da rede pública de Educação continua e cerca de 75% das escolas seguem sem aulas na capital por conta da greve. Nesta terça-feira (29), o prefeito Tião Bocalom afirmou que recuou e que vai pagar o piso aos professores em duas parcelas ainda este ano.
Esta era uma das pautas dos trabalhadores, mas, segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, a proposta ainda não foi formalizada e entregue ao sindicato e, pelo que foi divulgado, ela não contempla o que a categoria tem pedido. Por isso, a greve está mantida.
Os servidores municipais de Educação estão em greve desde o dia 24 do mês passado. Desde então, a categoria tem feito vários protestos pela cidade, inclusive junto com servidores da Educação estadual, que também estão com as atividades paralisadas.
A categoria pede:
– Reformulação de Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR);
– Piso nas carreiras aos professores, com 50% de diferença do nível médio para superior;
– Piso de uma única parcela aos professores;
– Piso dos funcionários de escolas que é de R$ 1.400, a proposta do Sinteac é de R$ 1.956;
– E se coloca contra a proposta da prefeitura de aumentar tempo de serviço para progressão salarial;
– Convocação efetiva do concurso de 2018.
A categoria voltou a protestar nesta terça em frente à Câmara de Vereadores de Rio Branco.
“A categoria disse que aceitaria o pagamento do piso em até duas parcelas. Além disso, que fosse avançada a pauta dos funcionários de escola, com piso de R$ 1,7 mil e R$ 1,8 mil. Aí, o prefeito está avançando com professores, mas não avançou com funcionários de apoio. Nós construímos algo com a categoria, que só vai sair da greve, avançando tanto na proposta dos professores como dos funcionários. Nós já abrimos mão demais”, disse Rosana.
Fonte: G1 Acre

Leia Também:  Acompanhe em tempo real: TRE reconhece legitimidade de Bocalom em reivindicar vaga de Manuel Marcos. Começa a votação

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI