Sem Categoria

Otorrinos do Huerb pediriam demissão, diz servidor. Menina de 10 anos é atendida por particular após apelo dos internautas

Published

on

Ouvido da menina de 10 anos com objeto estranho que precisa ser removido. Foto reprodução Facebook


Um enfermeiros do Huerb disse que todos os médicos especialistas em ouvido, garganta e nariz pediram demissão. Os pacientes que buscam ajuda no Pronto-Socorro de Rio Branco não estão sendo atendidos. É o caso de uma garotinha de 10 anos que deu entrada no hospital, na tarde deste sábado com suspeita de larvas no ouvido. A família foi informada que o atendimento não seria possível, pois até mesmo o aparelho que ajuda na precisão do exame é de propriedade dos médicos que não trabalham mais para o Estado. A mãe da menina não tem dinheiro para custear o tratamento numa clínica particular. A imagem de um objeto estranho no ouvido da garota foi postada nas redes sociais com um apelo aos internautas para ajudá-la. Minutos depois, o otorrino Carlos Beiruth foi acionado para fazer o atendimento emergencial da menina, de graça, atendendo a pedido de amigos.
O diretor do Huerb, Fabrício Lemos, não dá plantão aos finais de semana. Na ausência dele, nenhum médico ou funcionário fala com a imprensa. O tratamento a jornalistas é tão grosseiro e desprovido de educação quanto o atendimento dispensado a alguns pacientes.

Leia Também:  PRDC encaminha representações contra servidor público do Acre por homotransfobia, racismo e improbidade

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

manchete

Com 75% das escolas fechadas devido à greve, prefeito de Rio Branco recua e propõe pagar piso em duas parcelas

Published

on

O impasse entre a Prefeitura de Rio Branco e os servidores da rede pública de Educação continua e cerca de 75% das escolas seguem sem aulas na capital por conta da greve. Nesta terça-feira (29), o prefeito Tião Bocalom afirmou que recuou e que vai pagar o piso aos professores em duas parcelas ainda este ano.
Esta era uma das pautas dos trabalhadores, mas, segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, a proposta ainda não foi formalizada e entregue ao sindicato e, pelo que foi divulgado, ela não contempla o que a categoria tem pedido. Por isso, a greve está mantida.
Os servidores municipais de Educação estão em greve desde o dia 24 do mês passado. Desde então, a categoria tem feito vários protestos pela cidade, inclusive junto com servidores da Educação estadual, que também estão com as atividades paralisadas.
A categoria pede:
– Reformulação de Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR);
– Piso nas carreiras aos professores, com 50% de diferença do nível médio para superior;
– Piso de uma única parcela aos professores;
– Piso dos funcionários de escolas que é de R$ 1.400, a proposta do Sinteac é de R$ 1.956;
– E se coloca contra a proposta da prefeitura de aumentar tempo de serviço para progressão salarial;
– Convocação efetiva do concurso de 2018.
A categoria voltou a protestar nesta terça em frente à Câmara de Vereadores de Rio Branco.
“A categoria disse que aceitaria o pagamento do piso em até duas parcelas. Além disso, que fosse avançada a pauta dos funcionários de escola, com piso de R$ 1,7 mil e R$ 1,8 mil. Aí, o prefeito está avançando com professores, mas não avançou com funcionários de apoio. Nós construímos algo com a categoria, que só vai sair da greve, avançando tanto na proposta dos professores como dos funcionários. Nós já abrimos mão demais”, disse Rosana.
Fonte: G1 Acre

Leia Também:  Aprovado projeto de Gladson que dá nome afetivo por criança sob guarda provisória

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI