Sem Categoria

Quinze deputados gazetam o trabalho e Calegário não perdoa: “medo da Polícia Federal?”

Published

on

Dos vinte e quatro deputados estaduais somente nove compareceram ao trabalho nessa quinta feira( 5) e o colega Fagner Calegario (PL) não mediu palavras. Questionou se os faltosos estariam com medo de serem presos numa operação da Polícia Federal que estava em andamento em Rio Branco naquele momento.
O parlamentar foi irônico ao se pronunciar num plenário praticamente vazio. “Muitas cadeiras vazias, hoje, no plenário. Será que é pelo fato de hoje ser quinta-feira, último dia de expediente na casa ou será que o pessoal está se escondendo da Polícia Federal? A PF está na rua, viu?”.
A presença da polícia federal nas ruas, citada pelo deputado Fagner Calegario, se refere a buscas e apreensões na Secretaria de Saúde, em investigação de corrupção nos contratos do governo passado com uma empresa de coleta de lixo.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Justiça cassa direitos políticos de ex-prefeito petista de Placido de Castro
Advertisement

manchete

Com 75% das escolas fechadas devido à greve, prefeito de Rio Branco recua e propõe pagar piso em duas parcelas

Published

on

O impasse entre a Prefeitura de Rio Branco e os servidores da rede pública de Educação continua e cerca de 75% das escolas seguem sem aulas na capital por conta da greve. Nesta terça-feira (29), o prefeito Tião Bocalom afirmou que recuou e que vai pagar o piso aos professores em duas parcelas ainda este ano.
Esta era uma das pautas dos trabalhadores, mas, segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, a proposta ainda não foi formalizada e entregue ao sindicato e, pelo que foi divulgado, ela não contempla o que a categoria tem pedido. Por isso, a greve está mantida.
Os servidores municipais de Educação estão em greve desde o dia 24 do mês passado. Desde então, a categoria tem feito vários protestos pela cidade, inclusive junto com servidores da Educação estadual, que também estão com as atividades paralisadas.
A categoria pede:
– Reformulação de Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR);
– Piso nas carreiras aos professores, com 50% de diferença do nível médio para superior;
– Piso de uma única parcela aos professores;
– Piso dos funcionários de escolas que é de R$ 1.400, a proposta do Sinteac é de R$ 1.956;
– E se coloca contra a proposta da prefeitura de aumentar tempo de serviço para progressão salarial;
– Convocação efetiva do concurso de 2018.
A categoria voltou a protestar nesta terça em frente à Câmara de Vereadores de Rio Branco.
“A categoria disse que aceitaria o pagamento do piso em até duas parcelas. Além disso, que fosse avançada a pauta dos funcionários de escola, com piso de R$ 1,7 mil e R$ 1,8 mil. Aí, o prefeito está avançando com professores, mas não avançou com funcionários de apoio. Nós construímos algo com a categoria, que só vai sair da greve, avançando tanto na proposta dos professores como dos funcionários. Nós já abrimos mão demais”, disse Rosana.
Fonte: G1 Acre

Leia Também:  Faccionados que atiraram durante enterro de comparsa são presos pela Polícia Civil

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI