Sem Categoria

Repórter Angélica Paiva denuncia suposta censura e internautas reagem: absurdo

Published

on

A repórter Angélica paiva, da TV gazeta, afiliada da Rede record, denunciou uma suposta censura pelo Governo do Acre. “Então o governador quer me tirar da cobertura política é? Temor p antecedência só tem uma tradução- intenção de fazer coisas não muito corretas né??”, escreveu a jornalista em seu perfil pessoal no Facebook.
Internautas de várias localidades reagiram em favor da repórter (veja abaixo). Angélica faz a cobertura política do jornal carro chefe da emissora, o Gazeta em manchete, inclusive os bastidores da Assembléia Legislativa.
A emissora é controlada pelo Grupo Recol, que abastece os principais hospitais públicos mantidos pelo Governo do estado. Habitualmente, a TV Gazeta admite como ordem expressa o pedido de governantes para botar na rua seus profissionais. O caso mais emblemático é o da ex-apresentadora Mara Rocha, eleita deputada federal nas eleições de 2018.

O outro lado

“Gosto da Angelica, sempre tive uma boa relação com ela, é uma profissional experiente e sagaz, mais nesse caso especifico esta se dando uma importância que não tem, não para nós, já que ela é funcionária da TV Gazeta, não nossa”.
A frase acima foi dita pelo porta voz do governo, jornalista Rogério Venceslau, ao ser informado sobre o assunto.
 

Leia Também:  Após denúncia do acjornal, governo manda apurar uso indevido de máquinas por filho de assessor especial

COMENTE ABAIXO:
Advertisement
Click to comment

You must be logged in to post a comment Login

Leave a Reply

manchete

Com 75% das escolas fechadas devido à greve, prefeito de Rio Branco recua e propõe pagar piso em duas parcelas

Published

on

O impasse entre a Prefeitura de Rio Branco e os servidores da rede pública de Educação continua e cerca de 75% das escolas seguem sem aulas na capital por conta da greve. Nesta terça-feira (29), o prefeito Tião Bocalom afirmou que recuou e que vai pagar o piso aos professores em duas parcelas ainda este ano.
Esta era uma das pautas dos trabalhadores, mas, segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento, a proposta ainda não foi formalizada e entregue ao sindicato e, pelo que foi divulgado, ela não contempla o que a categoria tem pedido. Por isso, a greve está mantida.
Os servidores municipais de Educação estão em greve desde o dia 24 do mês passado. Desde então, a categoria tem feito vários protestos pela cidade, inclusive junto com servidores da Educação estadual, que também estão com as atividades paralisadas.
A categoria pede:
– Reformulação de Plano de Cargo Carreira e Remuneração (PCCR);
– Piso nas carreiras aos professores, com 50% de diferença do nível médio para superior;
– Piso de uma única parcela aos professores;
– Piso dos funcionários de escolas que é de R$ 1.400, a proposta do Sinteac é de R$ 1.956;
– E se coloca contra a proposta da prefeitura de aumentar tempo de serviço para progressão salarial;
– Convocação efetiva do concurso de 2018.
A categoria voltou a protestar nesta terça em frente à Câmara de Vereadores de Rio Branco.
“A categoria disse que aceitaria o pagamento do piso em até duas parcelas. Além disso, que fosse avançada a pauta dos funcionários de escola, com piso de R$ 1,7 mil e R$ 1,8 mil. Aí, o prefeito está avançando com professores, mas não avançou com funcionários de apoio. Nós construímos algo com a categoria, que só vai sair da greve, avançando tanto na proposta dos professores como dos funcionários. Nós já abrimos mão demais”, disse Rosana.
Fonte: G1 Acre

Leia Também:  Advogado que assumiu ser membro do CV terá registro bloqueado e deve ser expulso da OAB

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI