TECNOLOGIA

Samsung revela sensor de 200 megapixels para câmeras de celulares

Published

on

source
Sucessor do Samsung Galaxy S22 Ultra pode ganhar novo sensor
Divulgação/Samsung

Sucessor do Samsung Galaxy S22 Ultra pode ganhar novo sensor

A Samsung apresentou um novo sensor para câmeras de celulares nesta quinta-feira (23). Com 200 megapixels, o Isocell HP3 se destaca por trazer um dos menores pixels da indústria, com 0,56 μm (micrometro). De acordo com a marca sul-coreana, o componente pode ajudar a reduzir os módulos de câmera em até 20%.

O lançamento dá sequência aos sensores de alta resolução da companha. Assim como o Isocell HP1, revelado no ano passado, o Isocell HP3 oferece uma resolução de 200 megapixels. Mas, apesar do número enorme, esta especificação ajudará a produzir imagens menores com mais qualidade.

Isto será possível graças à tecnologia Tetra Pixel. A solução é capaz de unir quatro pixels de 0,56 μm em um de 1,12 μm para tirar fotos de 50 megapixels. Também é possível reunir dezesseis pixels de 0,56 μm em um de 12,5 megapixels, o que garante imagens de 12,5 megapixels.

E é aí que vem o pulo do gato. Como os pixels ficam maiores, o sensor não só passa a captar mais luz, como oferece imagens com mais riqueza de detalhes. Essa tecnologia, vale lembrar, também aparece em celulares com câmeras de 108, 64, 50 e 48 megapixels da Samsung e de outras marcas, mas em proporções diferentes.

Leia Também:  Apresentador de talk show revela hábito de higiene bizarro

“Com o nosso mais recente e atualizado Isocell HP3 de 0,56 μm e 200 MP, a Samsung avançará para oferecer resoluções épicas além dos níveis profissionais para usuários de câmeras de smartphones”, ressaltou JoonSeo Yim, vice-presidente executivo da equipe de negócios de sensores da Samsung.

Samsung Isocell HP3 pode reduzir módulos de câmeras

A Samsung ainda destaca outras vantagens no módulo. Em um comunicado, a companhia disse que o lançamento é 12% menor do que o modelo anterior, o Isocell HP1, com um formato óptico de 1/1,4 polegada. O resultado dessa alteração será encontrado nos módulos de câmeras, que poderá ser reduzido em cerca de 20%.

Mas estas não são as únicas vantagens do novo componente. O Isocell HP3 ainda conta com uma tecnologia para agilizar o foco automático (Super QPD) e para incrementar o alcance dinâmico do sensor (Smart-ISO Pro). Para filmagens, o sensor grava vídeos em 8K em até 30 quadros por segundo (qps) ou 4K em até 120 qps. 

Leia Também:  UTI no Ar transfere Renê Fontes para capital e laudo revela lesão no crânio. Passageiro relata acidente

“Amostras do Samsung Isocell HP3 estão atualmente disponíveis, e a produção em massa deve começar este ano”, afirmaram. Ainda não se sabe qual será o primeiro celular do mercado com o novo sensor. 

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

TECNOLOGIA

Facebook faturou R$ 158 milhões com anúncios falsos em quatro anos

Published

on

Facebook lucra com campanhas de desinformação
Unsplash

Facebook lucra com campanhas de desinformação

Em cerca de quatro anos, o Facebook faturou ao menos US$ 30,3 milhões (cerca de R$ 158 milhões, em conversão direta) em anúncios realizados por redes de comportamento inautêntico coordenado – como campanhas de desinformação -, mostra um levantamento feito pela revista Wired.

Os números são referentes ao período entre julho de 2018 e abril de 2022, e as redes foram posteriormente derrubadas pelo Facebook. Margarita Franklin, chefe de comunicações de segurança da Meta, confirmou à Wired que a receita de anúncios não é devolvida mesmo se os anunciantes forem banidos por ferirem as regras da plataforma.

De acordo com a empresa, nem todo o montante veio de anúncios que, de fato, violavam as regras do Facebook. Parte do dinheiro veio de publicidade autêntica, mas realizada pelas mesmas organizações que foram derrubadas por participarem de redes de comportamento inautêntico coordenado.

Dentre os comportamentos inautênticos com os quais o Facebook vem lucrando nos últimos anos, estão páginas falsas que visam enganar os usuários e, em grande parte dos casos, campanhas de desinformação.

O levantamento da Wired também revela que mais de US$ 22 milhões dos US$ 30,3 milhões foram gastos por apenas sete redes de comportamento inautêntico. Uma única campanha global ligada a um grupo de mídia de direita anti-China rendeu US$ 9,5 milhões aos cofres do Facebook.

Fonte: IG TECNOLOGIA

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI