manchete

BBB tupiniquim: prefeito de Sena vigia cada passo dos trabalhadores nas repartições públicas que ficam no seu quintal

Published

on

Os funcionários da garagem municipal da prefeitura de Sena Madureira e da secretaria de obras tomaram um susto ao chegarem para trabalhar, quinta-feira. Deram de cara com câmeras de vigilância espalhadas por todos os cantos.
O sistema de monitoramento eletrônico 24 horas foi instalado na calada da noite, a mando do próprio prefeito Marzinho Serafim (MDB). Ele não avisou nada a ninguém.
São cerca de 20 câmeras com imagens de alta resolução, gravando tudo o que acontece no interior do prédio onde funciona a oficina, o balcão de peças novas, garagem onde fica o maquinário pesado, copa e até a sala do diretor do órgão.
A mesma coisa acontece na secretaria de obras, que funciona em um prédio anexo à garagem municipal em um galpão cedido ao poder público dentro do quintal de Marzinho Serafim.
Há quem diga que o sistema de monitoramento envia imagens em tempo real para uma central de armazenamento instalada na casa do próprio prefeito, de onde ele mesmo fiscaliza tudo o que acontece dentro das duas principais repartições de sua gestão.
Coincidência ou não, todo esse cuidado de Marzinho Serafim só ficou explicito depois que um de seus principais secretários foi preso, na semana passada, acusado de furto de combustível da própria prefeitura.
Segundo as investigações da Policia Civil, Geocondo Assis Cesar e sua chefe de gabinete na secretaria de urbanismo de Sena Madureira costumavam desviar combustível para vender a terceiros com preço bem abaixo do valor de mercado.

Leia Também:  Calegário: “Sabe quanto custa apoiar um servidor? Uma edição extra do Diário Oficial”

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

manchete

Servidores da Educação e Saúde do AC mantém greve após aprovação de reajuste e auxílio alimentação

Published

on

Servidores da Educação e Saúde do estado decidiram manter a paralisação das atividades e atendimentos após aprovação dos reajustes salariais e auxílio alimentação pelos deputados na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). As categorias se reúnem na próxima semana para discutir os próximos passos da greve.
A greve da Educação começou no dia 16 de fevereiro. O motivo é a paralisação dos servidores da pasta por melhorias salariais, concurso público e outras reivindicações. Por conta da paralisação, o início das aulas foram adiadas do dia 4 de abril para o dia 11.
“Vamos fazer a assembleia na segunda-feira [4] às 9h no Centro. Não era o que queríamos, queremos manter nossa estrutura de carreira, os percentuais entre os níveis, manter os percentuais entre nossas referências e, infelizmente, nos tiraram tudo. Vamos apresentar e discutir como ficou o projeto”, afirmou a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento.
Os sindicatos dos Trabalhadores em Saúde do Acre (Sintesac) e dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) também se posicionaram a favor da paralisação. Para o Sindmed-AC, a reposição de 5,42% é ofensiva e o governo descumpriu o acordo.
“O descumprimento do acordo representou uma grande decepção para a categoria, uma ofensa, pois já havia concordância, por meio de negociação fechada, em junho do ano passado, que existiria a reposição inflacionária dos dois últimos anos”, pontuou o vice-presidente do sindicato, Rodrigo Prado.
O presidente do Sintesac, Adailton Cruz, disse que a categoria se reúne na próxima terça-feira (5) em uma assembleia geral para discutir se continua ou não com o movimento. “O reajuste aprovado não é o que o governo se comprometeu, não é nem a metade do que foi acordado. Os trabalhadores estão muito decepcionado”, revelou.
Com informações G1 Acre

Leia Também:  Governo adquire software de gestão pública direcionado a obras

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI