manchete

Governadora do Acre em em exercício é atualizada sobre casos de Covid e síndromes gripais

Published

on

Com o aumento dos casos de internações por síndromes gripais e ainda do número de pessoas infectadas pela covid-19 no Acre, a governadora em exercício, desembargadora Waldirene Cordeiro, esteve na manhã desta quarta-feira, 12, em reunião com a titular da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), Paula Mariano, para receber uma atualização panorâmica sobre a situação epidemiológica em que vive o estado.
A reunião foi realizada na sede da Sesacre, no centro de Rio Branco, e contou com a participação do vice-presidente do Tribunal de Justiça do Acre, desembargador Roberto Barros, e também do desembargador e corregedor Elcio Mendes, além da juíza Andrea Brito.

A reunião foi realizada na sede da Secretaria de Saúde. Foto: Odair Leal/Secom

Segundo Paula Mariano, observando o comportamento das doenças respiratórias no Acre, a sazonalidade com o aumento dos casos de internações, seja por covid-19 ou por síndromes gripais, desenvolve-se entre a segunda quinzena de janeiro e a segunda quinzena de março. A prospecção é de que o pico se estabeleça em fevereiro e comece a baixar no fim do mês de março.
“Estamos recebendo um aumento significativo da procura nas unidades de saúde por conta da gripe e de casos da covid-19. Estamos orientando que procurem o Into [Instituto de Traumatologia e Ortopedia], unidade de referência para o tratamento de síndromes respiratórias. Também estamos frisando sobre a importância da vacinação. Trata-se da forma mais eficaz que temos de virar essa página e evitar cenários mais críticos”, explicou a gestora.

Leia Também:  'Não morreremos como duplinha', declara Simaria sobre Simone
Paula Mariano é secretária de Estado de Saúde no Acre. Foto: Odair Leal/Secom

A maioria dos casos graves de internação que chegam ao Into são de pessoas que não se vacinaram ou que não completaram o esquema vacinal orientado pelo Ministério da Saúde. Esse dado faz parte de um levantamento feito pela própria secretaria. Além de mutirões, o governo tem se empenhado em levar as doses da vacina contra a covid-19 mesmo em locais de difícil acesso, para garantir a imunização do maior número de pessoas possível.
“A reunião foi proveitosa, pudemos ter uma avaliação da atual situação em que se encontra o Acre, relacionado à covid e à gripe, fizemos um apanhado das ações e estamos atentos às movimentações futuras. Acredito que se a população colaborar não precisaremos passar pelo que já passamos, seja mantendo os cuidados, usando máscaras e mantendo a vacinação em dia”, frisou Waldirene Cordeiro.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

manchete

Servidores da Educação e Saúde do AC mantém greve após aprovação de reajuste e auxílio alimentação

Published

on

Servidores da Educação e Saúde do estado decidiram manter a paralisação das atividades e atendimentos após aprovação dos reajustes salariais e auxílio alimentação pelos deputados na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). As categorias se reúnem na próxima semana para discutir os próximos passos da greve.
A greve da Educação começou no dia 16 de fevereiro. O motivo é a paralisação dos servidores da pasta por melhorias salariais, concurso público e outras reivindicações. Por conta da paralisação, o início das aulas foram adiadas do dia 4 de abril para o dia 11.
“Vamos fazer a assembleia na segunda-feira [4] às 9h no Centro. Não era o que queríamos, queremos manter nossa estrutura de carreira, os percentuais entre os níveis, manter os percentuais entre nossas referências e, infelizmente, nos tiraram tudo. Vamos apresentar e discutir como ficou o projeto”, afirmou a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento.
Os sindicatos dos Trabalhadores em Saúde do Acre (Sintesac) e dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) também se posicionaram a favor da paralisação. Para o Sindmed-AC, a reposição de 5,42% é ofensiva e o governo descumpriu o acordo.
“O descumprimento do acordo representou uma grande decepção para a categoria, uma ofensa, pois já havia concordância, por meio de negociação fechada, em junho do ano passado, que existiria a reposição inflacionária dos dois últimos anos”, pontuou o vice-presidente do sindicato, Rodrigo Prado.
O presidente do Sintesac, Adailton Cruz, disse que a categoria se reúne na próxima terça-feira (5) em uma assembleia geral para discutir se continua ou não com o movimento. “O reajuste aprovado não é o que o governo se comprometeu, não é nem a metade do que foi acordado. Os trabalhadores estão muito decepcionado”, revelou.
Com informações G1 Acre

Leia Também:  Crime contra o patrimônio: no Acre, 43 são presos e 16 veículos apreendidos

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI