manchete

Governo Gladson Cameli mostra eficiência em gestão pública e compromisso com o desenvolvimento do Acre

Published

on

Da Secom
Em 2019, a gestão de Gladson Cameli assumiu inúmeros desafios. A partir de um Estado cheio de dívidas contraídas por meio de mal sucedidos empréstimos milionários condicionados a altas taxas de juros, parte do décimo terceiro salário dos servidores públicos atrasada, déficit previdenciário, dívidas com fornecedores, precatórios, diversas obras inacabadas e pouca capacidade de investimento, era preciso recompor as finanças e, principalmente, inovar frente a gestão pública.
Com muita determinação e trabalho, a casa foi reorganizada. Ainda no primeiro ano de governo, Gladson Cameli honrou os funcionários que não tinham recebido a totalidade do décimo terceiro salário referente a 2018, concluiu obras paralisadas há vários anos, como é o caso emblemático da verticalização do Pronto-Socorro de Rio Branco, que perdurava há uma década, o projeto de lei da Reforma da Previdência elaborado pelo governo do Acre foi encaminhado e aprovado pela Assembleia Legislativa, assim como a renegociação das operações de créditos assumidas por administrações passadas contribuíram para um novo fôlego fiscal.

Com muito trabalho e determinação, administração de Gladson Cameli tem se destacado pela responsabilidade com as finanças do Estado e compromisso com o desenvolvimento do Acre. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“Sabíamos das dificuldades que encontraríamos pela frente, porém, não tínhamos noção da gravidade que se encontrava o nosso Estado. Com uma equipe determinada e disposta a virar essa página, trabalhamos dia e noite para tomarmos as melhores decisões. Graças a Deus, conseguimos superar vários obstáculos e estamos colocando o Acre nos trilhos, novamente”, destacou o governador Gladson Cameli.
Diante da maior crise sanitária já enfrentada pela humanidade, a gestão de Gladson Cameli encarou com muita determinação a pandemia do novo coronavírus. Para afastar a possibilidade de colapso na rede pública de Saúde do Acre, vários investimentos foram realizados. Em tempo recorde, dois hospitais de campanha de estrutura permanente foram erguidos em menos de 60 dias nas cidades de Rio Branco e Cruzeiro do Sul. Além disso, o Estado contratou mais profissionais, comprou insumos, medicamentos e equipamentos, triplicou o número de leitos de unidades de terapia intensiva (UTIs) e ampliou a estrutura hospitalar. Todos estes esforços tinham um só objetivo: salvaguardar vidas.
Para colocar o Acre de volta na rota do desenvolvimento, o governo executa um audacioso pacote milionário de obras públicas em todas as regiões do estado. Somente em Brasileia e Epitaciolândia, são R$ 60 milhões em investimentos na obra do anel viário da BR-317, que está em pleno andamento. A obra tem movimentado a economia local com a geração de empregos diretos e indiretos, aumentando o fluxo no comércio das duas cidades e, quando estiver concluído, o contorno rodoviário da Estrada do Pacífico se consolidará como um importante vetor de crescimento na regional do Alto Acre.

Leia Também:  Dólar nas alturas: bolivianos fecham fronteira contra aumento no preço da carne importada do Acre
Obra do anel viário de Brasileia e Epitaciolândia é uma realidade. Somente neste empreendimento público, o governo do Acre está investindo R$ 60 milhões. Foto: Ascom/Deracre

De acordo com Gladson Cameli, o governo também se prepara para iniciar obras históricas. Muito em breve, a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) licitará a construção do primeiro viaduto de Rio Branco, no cruzamento das avenidas Ceará e Getúlio Vargas. As tratativas para o viaduto da Corrente, no Segundo Distrito da capital, também estão em andamento entre o Departamento de Estradas de Rodagens (Deracre) e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).
Até o fim deste ano, o governo concluirá o processo licitatório referente as obras da segunda ponte sobre o Rio Iaco, em Sena Madureira, e da ponte sobre o Rio Acre, ligando o bairro da Sibéria ao centro de Xapuri. Assim como a pavimentação asfáltica da antiga estrada de acesso ao município. Em todas estas benfeitorias, os recursos já estão assegurados.
“A pandemia acabou atrapalhando o nosso planejamento referente as obras, mas com o avanço da vacinação, estamos trabalhando em todas as regiões do estado. Em Cruzeiro do Sul, por exemplo, o governo está duplicando a rodovia AC-405. São mais de R$ 36 milhões em investimentos, sem contar os inúmeros empregos gerados por essa importante obra. A expectativa para o próximo ano é muito boa e esperamos levar mais oportunidades e qualidade de vida para a população”, frisou o gestor.

Leia Também:  Nomeações para o novo governo exigem cautela, paciência e responsabilidade
Principal compromisso do governador Gladson Cameli é preparar o Acre com mais oportunidades para as futuras gerações. Foto: Diego Gurgel/Secom

Mesmo em tempos de austeridade econômica, o governo do Estado segue empenhado na valorização dos servidores públicos. Além do pagamento em dia e antecipação da primeira parcela do décimo terceiro salário, os quadros de profissionais estão sendo reforçados por meio de novas contratações. Somente na Segurança Pública, mais de mil novos trabalhadores foram convocados para as forças policiais. Além da continuidade do chamamento dos aprovados no cadastro de reserva da Polícia Militar, para os próximos meses, está prevista a realização de concursos públicos para a Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Penal e Instituto Socioeducativo.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

manchete

Servidores da Educação e Saúde do AC mantém greve após aprovação de reajuste e auxílio alimentação

Published

on

Servidores da Educação e Saúde do estado decidiram manter a paralisação das atividades e atendimentos após aprovação dos reajustes salariais e auxílio alimentação pelos deputados na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). As categorias se reúnem na próxima semana para discutir os próximos passos da greve.
A greve da Educação começou no dia 16 de fevereiro. O motivo é a paralisação dos servidores da pasta por melhorias salariais, concurso público e outras reivindicações. Por conta da paralisação, o início das aulas foram adiadas do dia 4 de abril para o dia 11.
“Vamos fazer a assembleia na segunda-feira [4] às 9h no Centro. Não era o que queríamos, queremos manter nossa estrutura de carreira, os percentuais entre os níveis, manter os percentuais entre nossas referências e, infelizmente, nos tiraram tudo. Vamos apresentar e discutir como ficou o projeto”, afirmou a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento.
Os sindicatos dos Trabalhadores em Saúde do Acre (Sintesac) e dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) também se posicionaram a favor da paralisação. Para o Sindmed-AC, a reposição de 5,42% é ofensiva e o governo descumpriu o acordo.
“O descumprimento do acordo representou uma grande decepção para a categoria, uma ofensa, pois já havia concordância, por meio de negociação fechada, em junho do ano passado, que existiria a reposição inflacionária dos dois últimos anos”, pontuou o vice-presidente do sindicato, Rodrigo Prado.
O presidente do Sintesac, Adailton Cruz, disse que a categoria se reúne na próxima terça-feira (5) em uma assembleia geral para discutir se continua ou não com o movimento. “O reajuste aprovado não é o que o governo se comprometeu, não é nem a metade do que foi acordado. Os trabalhadores estão muito decepcionado”, revelou.
Com informações G1 Acre

Leia Também:  Cameli transfere órgãos públicos ao Parque de Exposições, economiza no aluguel para comprar medicamentos e contratar médicos

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI