manchete

Governo investe R$ 36,5 milhões na duplicação da AC-405

Published

on

Considerada um dos maiores investimentos da gestão do governador Gladson Cameli, a obra de duplicação da rodovia AC-405 vem gerando grandes expectativas nos habitantes de Cruzeiro do Sul, segunda maior cidade do Acre, e também em milhares de moradores que residem em ramais, vilas e cidades vizinhas. Com a meta de melhorar o tráfego e a qualidade de vida das pessoas, a ação representa uma grande contribuição do governo ao município, que celebra, no dia 28 de setembro, 117 anos de fundação.
No projeto, que é executado pelo Consórcio AC-405 e fiscalizado pelo Departamento de Estradas de Rodagem (Deracre), serão gastos R$ 36,5 milhões para executar, no trecho que compreende a entrada do município até o aeroporto internacional, os serviços de alargamento, acostamento, paisagismo e movimentação de rede elétrica, além da construção de um canteiro central e do afastamento de unidades habitacionais localizadas nas áreas onde serão realizados os trabalhos. Ao todo, serão 11 km de reconstrução.
Nos cinco meses iniciais, os trabalhos vêm sendo realizados num espaço de 6 km, que liga o aeroporto ao complexo do Serviço Social do Comércio (Sesc), e concentram-se na limpeza da camada vegetal, aterros, troca de solo, além da construção e ampliação de galerias de concreto, reforço de subleitos, muros e cercas e outras benfeitorias. Até o momento, as equipes efetuaram 30% dos serviços.
A execução também garante emprego e renda para cerca de 70 famílias. Na assinatura da ordem de serviço, realizada no dia 22 de abril, Cameli externou seu imenso desejo de melhorar a vida dos acreanos. Segundo ele, as aplicações em infraestrutura ajudam o Estado atingir a meta. “Essas obras vão ajudar a melhorar muito a vida de quem mora nessa região”, afirmou o chefe do Executivo.
O engenheiro responsável pela duplicação, Leandro Lima, afirma que em 2022 a estrada será entregue. Ele acredita que o ganho em qualidade de vida será o grande fruto do investimento. “A população vai desfrutar de um período de desenvolvimento. Serão inúmeros ganhos, e entre eles destaco o salto na qualidade de vida. A cidade vivenciará grandes transformações”, afirma.
 

Leia Também:  PF amanhece na casa de vereador de Rio Branco em nova operação contra crimes eleitorais

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

manchete

Servidores da Educação e Saúde do AC mantém greve após aprovação de reajuste e auxílio alimentação

Published

on

Servidores da Educação e Saúde do estado decidiram manter a paralisação das atividades e atendimentos após aprovação dos reajustes salariais e auxílio alimentação pelos deputados na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). As categorias se reúnem na próxima semana para discutir os próximos passos da greve.
A greve da Educação começou no dia 16 de fevereiro. O motivo é a paralisação dos servidores da pasta por melhorias salariais, concurso público e outras reivindicações. Por conta da paralisação, o início das aulas foram adiadas do dia 4 de abril para o dia 11.
“Vamos fazer a assembleia na segunda-feira [4] às 9h no Centro. Não era o que queríamos, queremos manter nossa estrutura de carreira, os percentuais entre os níveis, manter os percentuais entre nossas referências e, infelizmente, nos tiraram tudo. Vamos apresentar e discutir como ficou o projeto”, afirmou a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento.
Os sindicatos dos Trabalhadores em Saúde do Acre (Sintesac) e dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) também se posicionaram a favor da paralisação. Para o Sindmed-AC, a reposição de 5,42% é ofensiva e o governo descumpriu o acordo.
“O descumprimento do acordo representou uma grande decepção para a categoria, uma ofensa, pois já havia concordância, por meio de negociação fechada, em junho do ano passado, que existiria a reposição inflacionária dos dois últimos anos”, pontuou o vice-presidente do sindicato, Rodrigo Prado.
O presidente do Sintesac, Adailton Cruz, disse que a categoria se reúne na próxima terça-feira (5) em uma assembleia geral para discutir se continua ou não com o movimento. “O reajuste aprovado não é o que o governo se comprometeu, não é nem a metade do que foi acordado. Os trabalhadores estão muito decepcionado”, revelou.
Com informações G1 Acre

Leia Também:  E agora, Nabiha? contrato com vigilantes encerra e diretores se recusam assumir responsabilidade pelo patrimônio das escolas em Rio Branco

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI