manchete

Ptolomeu: a politicagem de Rocha e Bittar que empodera ainda mais Gladson Cameli

Published

on

Quanta idiotice achar que o governador roubaria R$ 2.5 milhões em 3 anos de gestão. Quem tem a intenção de enricar ilicitamente não se sujaria por mixaria. É esse o valor a mais no patrimônio pessoal de Gladson Cameli de janeiro de 2019 ate meados de 2021, segundo a espetaculosa denúncia feita por Bittar (que quer ser governador com Cameli fora do páreo), Rocha ( um imbecil que tenta ressurgir como Fênix) e sua curriola.
Carros FI-NAN-CI-A-DOS são bens cuja aquisição foi possível a partir de uma análise de crédito, aprovada pela instituição financeira. Jamais terão o score de um Cameli. Aliás, bens esses que, na declaração de Imposto de Renda, viram patrimônio líquido.
Ademais, já viram propina ser depositada em conta pessoal do “propineiro”????
Que babaquice !!
O objetivo foi alcançado: atingir o núcleo familiar, abater ainda mais o patriarca dos Cameli, um idoso já debilitado e agora ainda mais fragilizado que nunca precisou de parcas moedas para crescer seu império.
Negar o privilégio de um Natal com o filho governador foi de uma crueldade sem palavras.
O privo seria merecido se no bojo das denúncias houvesse prova cabais de que o governador roubou.
O governador nasceu rico e sua condição de “bem nascido” gera desconforto aos pobres de espírito, miseráveis de caráter e de índole duvidosa.
Há, e isso não se pode negar, uma expectativa pelo afastamento do governador. Uma canetada que pode até partir da ministra, mas que não prosperará aqui.
O desgaste e o desequilíbrio no governo é a meta.
Nada que não mobilizasse tantos inimigos não fosse a popularidade do governador acima de 70%.
O povo é o juiz.
Rocha não esquentará a cadeira Nº 1 do palácio nem em sonho. Vai continuar sendo um verme maldito, a se lambuzar nas próprias fezes, a escória depois de um certo empresário da comunicação tido e havido como câncer da politica regional.
Ademais, a eleição se avizinha e, todos sabem, nos parece cada vez mais insana essa tentativa de tomar o poder. Nem no leito de quase morte esses delinquentes se aproximam de Deus ou refletem sobre o quanto é divino fazer o bem. O que a bariátrica reduziu de merda virou diarréia mental, só pode !
Pra finalizar: Cameli desfruta de boas e vultosas mesadas do pai, que lhe são entregues em conta bancária, mensalmente. Não se vive do salário de governador sendo detentor de um padrão de vida alto desde criancinha.
Isto é fato.
 

Leia Também:  Governo do Acre dá ultimato às terceirizadas: ou pagam os trabalhadores ou ficarão sem contrato

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

manchete

Servidores da Educação e Saúde do AC mantém greve após aprovação de reajuste e auxílio alimentação

Published

on

Servidores da Educação e Saúde do estado decidiram manter a paralisação das atividades e atendimentos após aprovação dos reajustes salariais e auxílio alimentação pelos deputados na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). As categorias se reúnem na próxima semana para discutir os próximos passos da greve.
A greve da Educação começou no dia 16 de fevereiro. O motivo é a paralisação dos servidores da pasta por melhorias salariais, concurso público e outras reivindicações. Por conta da paralisação, o início das aulas foram adiadas do dia 4 de abril para o dia 11.
“Vamos fazer a assembleia na segunda-feira [4] às 9h no Centro. Não era o que queríamos, queremos manter nossa estrutura de carreira, os percentuais entre os níveis, manter os percentuais entre nossas referências e, infelizmente, nos tiraram tudo. Vamos apresentar e discutir como ficou o projeto”, afirmou a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento.
Os sindicatos dos Trabalhadores em Saúde do Acre (Sintesac) e dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) também se posicionaram a favor da paralisação. Para o Sindmed-AC, a reposição de 5,42% é ofensiva e o governo descumpriu o acordo.
“O descumprimento do acordo representou uma grande decepção para a categoria, uma ofensa, pois já havia concordância, por meio de negociação fechada, em junho do ano passado, que existiria a reposição inflacionária dos dois últimos anos”, pontuou o vice-presidente do sindicato, Rodrigo Prado.
O presidente do Sintesac, Adailton Cruz, disse que a categoria se reúne na próxima terça-feira (5) em uma assembleia geral para discutir se continua ou não com o movimento. “O reajuste aprovado não é o que o governo se comprometeu, não é nem a metade do que foi acordado. Os trabalhadores estão muito decepcionado”, revelou.
Com informações G1 Acre

Leia Também:  Militares que negam a trabalhar anunciam que "toda Rio Branco está sem policiamento"; Lei prevê prisão de 8 anos e até expulsão

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI