Política

Prefeitura de Acrelândia isenta quem trabalha nas eleições de pagar taxa em concursos públicos

Published

on

A Prefeitura de Acrelândia sancionou Lei aprovada na Câmara Municipal de Vereadores, que isenta os cidadãos convocados e nomeados pela Justiça Eleitoral que prestem serviços no período eleitoral, visando à preparação, execução e apuração de eleições oficiais, do pagamento de taxa de inscrição nos processos seletivos de contratação e nos concurso públicos realizados pelo Poder Legislativo e pela Administração Pública Direta, Indireta, Autarquias, Fundações Públicas e Entidades mantidas pelo Poder Executivo Municipal, no âmbito do município.

Segundo a lei, cada turno é contato como uma eleição e terá a validade de 4 anos a contar da data da segunda eleição oficial, incluindo o plebiscito ou o referendo no qual o
cidadão prestou serviços.

Para ter direito à isenção o cidadão convocado deve comprovar o serviço prestado à Justiça Eleitoral por, no mínimo, duas eleições oficiais, consecutivas ou não. A comprovação do serviço prestado será efetuada através da apresentação da declaração ou diploma, expedido pela Justiça Eleitoral, contendo o nome completo do cidadão, a função desempenhada, a data e o turno da eleição, do plebiscito ou do referendo, cuja cópia deverá ser anexada no ato da inscrição.

Leia Também:  Jorge Viana deve concorrer ao Senado, deixando candidatura para o governo em aberto no PT

Por Contilnet

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

Política

Irmã de Michelle Melo é exonerada após vereadora voltar a manifestar vontade de disputar o governo

Published

on

O governador Gladson Cameli (PP) exonerou, nesta terça-feira (17), a irmã da vereadora de Rio Branco Michelle Melo. Mirla de Oliveira Melo Lima era lotada na Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio (Sepa), com um salário de R$ 7 mil.

Fontes ouvidas pelo Notícias da Hora afirmam que a exoneração da irmã da vereadora está ligada ao fato de Michelle Melo não desistir da ideia de disputar o governo do Acre nas eleições deste ano.

No último dia 12, Michelle Melo usou as redes sociais para dizer que seu nome está à disposição do PDT. “Meu nome está à disposição do PDT para dialogar sobre o futuro do Acre, o governo do Acre”.

Na Assembleia, na última semana, o deputado José Luís Tchê, presidente de honra do partido no Acre, disse que a sigla quer sim “discutir chapa majoritária”.

Michelle Melo e o pai, o empresário Nelsinho Santiago, se reuniram com o deputado Jenilson Leite (PSB), pré-candidato ao governo do Acre, ontem, 16. A agenda foi publicada pelo parlamentar em suas redes sociais nesta terça-feira, 17.

“Junto com o presidente estadual do PSB, César Messias, e outras lideranças, tivemos uma conversa agradável com a vereadora Michelle Melo, do PDT, e o seu pai, Nelsinho. Falamos sobre o futuro do Acre. Temos muitos objetivos em comuns, como a preocupação com a saúde de nossa população, as dificuldades de quem produz no campo e com quem gera emprego na cidade. Nosso desejo é lutar para que o Acre possa mudar seus rumos e que as pessoas deixem de ir embora de nosso estado por falta de oportunidades”, escreveu Jenilson.

Leia Também:  "Não tem acordo", afirma Rocha sobre suposta tentativa de reaproximação de Gladson

O Notícias da Hora entrou em contato com Mirla Melo. Em resposta, ela disse que “diferentemente de minha irmã, não possuo vida pública, me reservo, gentilmente, ao silêncio”.

Michelle Melo diz desconhecer se irmã foi exonerada por conta de anseios dela de disputar o governo

A vereadora Michelle Melo disse ao Notícias da Hora que desconhece se a irmão, Mirla Melo, foi exonerada por manifestações políticas dela. Afirmou que a irmã foi nomeada em 2019 e ela foi eleita vereadora em 2020, o que revela não guardar qualquer relação sobre a postura política dela.

“Se tem ou não verdade, não sei, porquê não sei como pensa o atual governo. Ela não foi indicação da vereadora Michelle, haja vista foi nomeada em 2019 e eu fui eleita em 2020.Um emissário do governo me ligou há aproximadamente 15 dias atrás pra falar do respeito que o governador tem por mim e pela minha família, recebi e reiterei o respeito que tinha ao governador, apesar de discordar de pontos da sua gestão”, disse Michelle.

Leia Também:  Bocalom envia à Câmara PL de reajuste de servidores e critica sindicalistas que fazem politicagem

E reafirmou: “eu não tenho indicação de cargo municipal, nem estadual e não tenho nenhum cargo relacionado ao partido do qual faço parte, o PDT. Se o governador acha que deve exonerar minha irmã, ele saberá porquê. Não falo com a gestão do Gladson há meses, não sei lhe dizer o que eles estão pensando”.

Melo pontuou que “a política de cargos é pequena”. “Falar de projetos para o Acre com base em cargos não faz parte do que acredito. Acredito na liberdade de pensamentos, de ideias, de construção coletiva e democrata, falta mesmo é emprego pro povo do Acre”.

Por Notícias da Hora

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI